CIJUN cria plataforma inteligente para dados de COVID-19

O uso da tecnologia para aproximar a população da administração municipal é uma das metas da Prefeitura de Jundiaí e, para isso, a CIJUN desenvolveu um sistema de gestão por inteligência que concentra todas as informações sobre o Novo Coronavírus na cidade e os transforma em mapas de análise. “As informações são a base para conseguir gestar uma situação. A pandemia, em que são poucas as informações de estudos disponíveis, garantir o mapeamento do cenário epidemiológico, de forma diária, podendo cruzar as informações com dados sobre isolamento, por exemplo, garante à administração a tomada de decisões precisas e medidas específicas para o combate à doença”, detalha o prefeito Luiz Fernando Machado.

O sistema de inteligência interpretará os dados brutos recebidos pelos órgãos municipais envolvidos no combate ao Sars-CoV-2 e disponibilizará para a população por meio da página “Coronavírus” e no APP Jundiaí. “Estamos na etapa de coleta, organização, monitoramento e tratamento dos dados. Essa tecnologia é suportada pela plataforma implementada para a gestão que possibilitará o cruzamento de informações e criação de modelos preditivos, por exemplo, do avanço da doença”, detalha o presidente da Cijun, Amauri Marquezi.

Uma das informações que poucas cidades dispõem e que passa a ser disponível para quem acessar os canais da Prefeitura de Jundiaí é o mapeamento de calor. Agora, as pessoas poderão consultar quais são os bairros com maior ocorrência de casos. Essas informações são tratadas pelas legislações que regem o cuidado com os bancos de dados e o sigilo médico. O ponto de identificação da quantidade de casos está determinado pela longitude e latitude que determina o centro de cada bairro.

Para o gestor da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS), Tiago Texera, o avanço no sistema de inteligência faz parte das ações do Comitê de Enfrentamento ao Coronavíus (CEC), que inclui também a aplicação do Inquérito Epidemiológico. “Com o sistema de inteligência, os dados identificados com a aplicação dos 20 mil testes rápidos farão a composição da avaliação da população. Alcançamos a taxa de testagem de 47 pessoas a cada 1 mil habitantes, que é acima da registrada na Alemanha, que realiza 25 testes a cada 1 mil habitantes”, explica. (Com informações e foto: PMJ)