Desde 2010, ‘célula na Dae’ dá mais modernidade às ações de abastecimento

O abastecimento de uma cidade como Jundiaí, com mais de 400 mil habitantes, não pode parar. E a tecnologia é bastante importante nesse processo. Mais importante ainda é pensar numa cidade que vê nessa tecnologia uma aliada importante para dar modernidade e assegurar à população um serviço de qualidade. Pensando nisso foi criado, em 2010, uma ‘mini-CIJUN’ dentro das dependências da DAE.

 De acordo com o coordenador do local, Cassiano Galzoni, desde que foi criada, a ‘mini-CIJUN’ como é carinhosamente chamada, optou em andar num ritmo semelhante ao da empresa-mãe. E isso proporcionou um salto de qualidade. As empresas co-irmãs, ambas de economia mista, viram que, unindo forças, quem ganharia seria a população. E tem sido assim desde então. 

“Tudo isso foi criado até para termos um trabalho contínuo, sem interrupções, independente de gestão ou de contratos”, avaliou Cassiano.

“Temos sistemas hoje, por exemplo, que conseguem monitorar, via dispositivo móvel, as ações da DAE na rua. O objetivo é dar mais agilidade e eficácia na prestação de serviço.  Pensamos apenas no cliente final, que é a população”, complementa Cassiano.

Hoje, a Dae é referência no que há de mais moderno em abastecimento e segue patamares das grandes nessa expertise. “Então, a Tecnologia da Informação tem que ficar à frente também nas questões de Infraestrutura, Data Center e tudo o que dá suporte aos sistemas que cuidam do abastecimento de Jundiaí. Claro que temos muito a fazer, mas estamos no caminho certo”, encerra Cassiano. 

Cassiano ( sentado) está na companhia há muitos anos

Cassiano ( ao fundo) está à frente da mini-cijun